9 de abr de 2009

Do que não se tem mais noticias

O que sei é que não tenho mais noticias de quem me perguntas.
Não sei onde se encontra,
Nem o que faz.
Tratei de esquecer o nome,
A data do aniversario,
O endereço.
Tratei de esquecer tudo que sabia dele,
E olha que não era pouca coisa.

Ele era o meu ar,
Meu chão,
Minha alegria,
Minha vida.
Minha cor.

O que fiz se ele era tudo isso?
Deixei de respirar,
Deixei de pisar,
Fiquei triste,
Parei de viver.
Desbotei.

Mas estou renascendo,
Aos poucos tenho aprendido a viver.
Tenho aprendido a não depender de ninguém pra viver.
Não vou dar o lugar dele a mais ninguém,
Pois esse lugar deve pertencer a mim mesma.

Agora tenho outono, pois sua ausência trouxe tristeza.
Logo virá o inverno,
Doloroso, triste, frio.
Mas depois virá a Primavera.

Thalita